AULAS

Higiene e Profilaxia

Higiene Pessoal
É a limpeza do corpo para eliminar sujeiras e bactérias, impedindo a transmissão de doenças e mantendo a aparência agradável.

Limpeza
É a remoção da sujidade de qualquer superfície, reduzindo o número de microrganismos presentes.
Esse procedimento deve obrigatoriamente ser realizado antes da assepsia.

 (*) Assepsia: é o conjunto de medidas adotadas para impedir que determinado meio seja contaminado.

A limpeza é aplicada através de:
- Energia mecânica: proveniente de ação física aplicada sobre a superfície com pressão da água, esponja ou escova, máquina de lavar, etc.
- Energia térmica: proveniente de ação do calor. Reduz a viscosidade das matérias graxas e gorduras tornando facilmente a remoção.
- Energia química: proveniente da ação de produtos que têm a propriedade de remoção de sujeira mais intensa.

Higienizar
É a retirada de resíduos e partículas microscópicas, através da ação de detergentes e saponificantes.

Ambiente Profissional
Secretaria da Saúde:
Lei nº 211 de 30/03/70 seção V.
Para institutos de beleza, salão de beleza, cabeleireiros:
“Em todos os estabelecimentos referidos nesta seção é obrigatória a desinfecção dos locais e equipamentos e utensílio, na forma determinada pela autoridade sanitária”.

Para a higienização deve-se considerar todo o ambiente de trabalho e os materiais utilizados para os procedimentos em estética.

Principais Ações
- Pisos, paredes, portas e janelas: Devem ser lavados com água e sabão. Retirar o excesso de sabão com água corrente. Enxaguar com solução de hipoclorito de sódio.
Ex: 1 litro de hipoclorito para 25 litros de água.
Periodicidade: 1 vez por semana.

- Tecidos (lençóis, toalhas e roupão): Lavagem normal e permanência por 30 minutos em solução de hipoclorito de sódio.

- Mochos e macas: Desinfecção com álcool 70%

- Materiais de inox e plástico: Solução contendo Glutaraldeído. Para a desinfecção manter durante 30 minutos os objetos mergulhados nesta solução. Para esterilização manter por 18 horas. Enxaguar com álcool etílico, pois o Glutaraldeído é uma substância irritante.

- Materiais de vidro (lupas, eletrodos de vidro): Desinfecção com Álcool 70%.

- Equipamentos diversos: Nas superfícies metálicas não devem ser utilizadas substâncias corrosivas (hipoclorito de sódio, água sanitária). Em geral utiliza-se álcool 70%.
(*) Seguir as instruções do fabricante.

Periodicidade de limpeza
Diário: pisos, rodapés, ralos, maçanetas, pias, sanitários, cadeiras, mesas e recipientes de lixo.
Diário ou de acordo com o uso: equipamentos, utensílios, superfícies de manipulação, saboneteiras e borrifadores.
Semanal: paredes, portas, janelas, prateleiras (armários) e geladeiras.
Quinzenal: estoque de materiais.
Mensal: luminárias.
Semestral: reservatório de água.

Alguns cuidados importantes
- certificar-se que os produtos utilizados têm registro no Ministério da Saúde;
- verificar sempre o prazo de validade dos produtos;
- utilizar sempre espátulas higienizadas;
- manter sempre os frascos fechados quando não estiverem em uso.

Técnica de higienização das mãos
A transmissão de microrganismos pelas mãos é importante para as infecções exógenas primárias e nas infecções endógenas secundárias.
As mãos conduzem microrganismos que estabelecem colonização no paciente e subseqüentemente, um processo infeccioso.
Não existe nenhuma evidência determinando vantagens da aplicação generalizada de anti-sépticos comparados ao sabão comum e tampouco determinando qual o melhor anti-séptico.

O gel alcoólico não remove sujidade, porém é mais efetivo do que água e sabão na destruição da flora transitória e mesmo na redução da flora permanente; entretanto não apresenta ação residual.
As preparações com anti-sépticos são as mais efetivas na redução da flora permanente. O uso freqüente pode estar associado à irritação da pele, que provoca alteração da flora residente, favorecendo a transmissão de microorganismos.

Dicas
1) As mãos devem ser descontaminadas imediatamente após cada procedimento.
2) Quando as mãos estiverem visivelmente sujas ou grosseiramente contaminadas com matéria orgânica, devem ser lavadas com água e sabão.
3) Remover acessórios (anéis e pulseiras) no início do trabalho e antes da lavagem das mãos. Lesões da pele devem ser protegidas com curativos impermeáveis.
4) A técnica adequada para a lavagem das mãos envolve 3 etapas: preparação, lavagem e enxágüe. A preparação requer umedecer as mãos antes da aplicação do sabão líquido ou do anti-séptico. Na lavagem, a solução deve ter contato com toda a superfície das mãos, particularmente as pontas dos dedos, espaços interdigitais e polegares, devendo-se friccionar por pelo menos 15 segundos. A secagem deve ser realizada com papel toalha descartável.
5) No emprego de gel alcoólico, as mãos devem estar livres de sujidade e a solução deve ter contato com todo a sua superfície. Devem-se fazer fricção vigorosa, não se esquecendo da ponta dos dedos, espaços interdigitais e polegares, até a evaporação da solução e secagem das mãos.
6) Aplicar regularmente um produto hidratante para proteger as mãos do ressecamento. Se um sabão, anti-séptico ou gel alcoólico causar irritação da pele, deve-se procurar um serviço médico.

Fontes de Consulta
www.mte.gov.br
www.mtb.gov.br
www.anvisa.gov.br
www.sesi.org.br
www.abnt.org.br

www.atarp.com.br

www.riscobiologico.org

www.biosseguranca.com

 

.